Paraíso entre falésias

Com trechos de natureza exuberante e gastronomia para todos os gostos e bolsos, a praia da pipa, a apenas 81km de Natal, agrada de famílias em busca de calmaria a jovens interessados em agito e boas ondas

POR MARINA AZAREDO
FOTOS FERNANDA FRAZÃO

   Tranquilidade ou badalação. Praias de águas calmas ou faixas de areia tomadas por surfistas em busca de boas ondas. Gastronomia requintada ou ostras recém-pescadas servidas pelos nativos. Definir um destino de férias normalmente exige fazer escolhas – e elas podem ser bem difíceis. Mas há um endereço do Nordeste brasileiro que é capaz de pôr fim em qualquer dilema conjugal ou impasse familiar: a Praia da Pipa. Localizado 81km ao Sul de Natal, o vilarejo foi “descoberto” pelos surfistas ainda na década de 70, mas foi só há cerca de 15 anos que se tornou um destino conhecido mundo afora. E desde então, os forasteiros não param de chegar. Vindos da vizinha capital potiguar ou da Europa, todos se encantam com as suas exuberantes falésias com cores que vão do rosa ao amarelo, seu mar de águas claras e quentes e sua atmosfera hippie-chic que resiste ao tempo, embora os ares de vila de pescador tenham ficado no passado.

   Uma das formas mais populares – e baratas – de conhecer Pipa é fazer um bate e volta a partir de Natal. Mas esta modalidade, embora dê um breve panorama do que é o vilarejo, não mostra ao turista o que a localidade tem de melhor: as praias menos disputadas (e mais paradisíacas) e o clima descolado das noites na Avenida Baía dos Golfinhos e arredores, um miolo repleto de restaurantes charmosos e lojinhas de souvenirs. E opções de hospedagem não faltam na região. Do conforto familiar do Pipa Lagoa aos chalés ecológicos da Pousada Mirante de Pipa, há preços e estilos para todos os gostos. Escolha o seu e se entregue a dias de sol e mar neste paraíso potiguar.

   A praia mais famosa da região é a Baía dos Golfinhos, aonde só se chega a pé, com uma curta caminhada a partir do centro, quando a maré está baixa. A fama não é para menos. Além dos turistas, há um grupo que invariavelmente dá as caras por lá: os golfinhos. Não tem erro. É só chegar, entrar no mar e observar. Eles nadam tranquilamente, bem perto das pessoas. É possível vê-los ainda mais próximos, de caiaque ou stand up paddle, que podem ser alugados ali mesmo, na areia.

   A vizinha Praia do Madeiro, com falésias cobertas de vegetação, também é disputada, principalmente pela turma do surfe. Em sua ponta direita quebram ondas propícias para a prática do esporte. Já em Tibau do Sul, a 7km do centrinho da Pipa, fica a alternativa perfeita para quem curte se dividir entre a piscina e o mar (é bom lembrar que, por conta de seu relevo acidentado, a região tem pouquíssimas opções de hotéis à beira-mar). A Ponta do Pirambu é um day-use muito bem montado, com piscina de borda infinita e acesso a uma praia deserta. É a escolha ideal para um dia de dolce far niente. Entre uma caminhada na areia e um mergulho na piscina, a dica é se deliciar com iguarias da culinária nordestina, como moqueca, escondidinho e camarão à baiana.

   O empreendimento é tocado pelo casal Frederico e Graziela Wagner. O paulista e a gaúcha se conheceram na Pipa no início deste século, após deixarem as respectivas vidas para trás em busca de mais tranquilidade, qualidade de vida e uma rotina mais próxima do mar e da natureza. “Enquanto estiver dando onda, eu vou ficando”, diz o surfista Frederico, revelando que deixar a região sequer passa pela sua cabeça.

   Outra atração comandada por uma forasteira é o tour a bordo do barco Sole Mio. Idealizado pela francesa Aude, em parceria com o marido, o nativo Carlos, o passeio faz uma verdadeira imersão no ecossistema da Lagoa de Guaraíras. Ao longo de uma tarde, o turista percorre boa parte de seus 8km² navegáveis, com paradas para se banhar, relaxar em uma praia deserta, catar vôngoles e degustar ostras recém-pescadas no povoado de Senador Georgino Avelino.

TERRA DAS OSTRAS

   Embora menos famoso pelas ostras do que Santa Catarina, o Rio Grande do Norte é um polo importante na produção do molusco. A Primar, em Tibau do Sul, é referência no cultivo orgânico do animal, com cerca de 40 hectares de área de viveiros. Hoje a propriedade é comandada pela designer carioca Marcia Kafensztok, que aprendeu tudo sobre aquicultura há dois anos e meio, após a morte do marido, o biólogo Alexandre Wainberg. “O método consiste na reprodução de um ambiente semelhante ao hábitat das espécies, sem a aplicação de produtos químicos, pesticidas, transgênicos, antibióticos e hormônios”, explica ela, que atualmente trabalha também na implementação de um projeto de ecoturismo gastronômico. A ideia é que o turista deguste ostras harmonizadas com vinhos, em um piquenique montado sob a sombra de uma das aroeiras da fazenda.

   Os moluscos recém-pescados na natureza podem ser saboreados durante o passeio de barco pela Lagoa de Guaraíras. Pescadora desde os 9 anos, Adailma Alexandre de Almeida, hoje com 45, espera a chegada dos turistas todos os dias com uma bandeja de animais frescos. “Além de ostras, eu pesco mariscos, sururus e caranguejos. Só não sei jogar tarrafa”, conta ela, que da atividade tirou o sustento de seus dois filhos. A mais velha, de 25 anos, hoje é estudante de Pedagogia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

   Para explorar praias e atrativos mais distantes, vale a pena contratar um serviço de bugue. No passeio, que vai até a divisa do Rio Grande do Norte com a Paraíba, tem-se um belo panorama do litoral daquele pedaço do Brasil, passando pela rústica Barra do Cunhaú, pela “riponga” Baía Formosa e pela impressionante Lagoa da Araraquara, mais conhecida como Lagoa da Coca-Cola, devido à coloração de sua água, que vai dos tons avermelhados ao preto.

   No caminho, é possível fazer uma parada para conhecer o trabalho do pescador José Lima Filho, que, depois de anos pescando tartarugas, passou a preservá-las e afirma ter visto nascer mais de 48 mil animais desde então. “Estava no mar pescando uma tartaruga, quando olhei para ela e a vi chorar. Foi nessa hora que Deus me disse ‘chega’”, conta ele, aos turistas que lá chegam, curiosos para observar as ossadas de animais mortos encontradas na praia, que ele faz questão de montar e exibir.

   Um importante serviço de preservação das tartarugas marinhas também é feito pelo projeto Tamar, cujo trabalho está exposto dentro do Santuário Ecológico, uma reserva florestal onde há trilhas para se conhecerem a flora e a fauna da região. É dali que o turista tem as melhores vistas da Baía dos Golfinhos. Com um pouco de atenção, enxergam-se os animais nadando no mar.

   Vista mais impressionante só mesmo a partir do Mirante do Chapadão, o melhor ponto da região para fotos. Reserve um tempo para explorar a parte superior das falésias avermelhadas. Dali é possível observar a pedra que deu nome à Praia da Pipa (que tem formato de barril), a Praia do Amor e até a divisa com a Paraíba. Para curtir o pôr do sol, o point é o Mirante Sunset Bar, no centrinho, que funciona de terça a sábado, das 16h às 19h.

Assim como em todo o Nordeste, o sol se põe cedo na Pipa, por volta das 17h30, dependendo da época do ano. Depois que ele vai embora, é na Avenida Baía dos Golfinhos que todos se encontram. A dica é começar o passeio pelo ateliê do pernambucano Rafa Santos, de 34 anos, há 15 na Pipa. É ele o autor das placas amarelas que se tornaram a cara do vilarejo. Há desde letreiros com os nomes dos lugares até mensagens de conscientização sobre a importância de manter as praias e ruas livres de lixo e, principalmente, de bitucas de cigarro. “Tem gente que se ofende com o tom das mensagens, mas acho que é um jeito de chamar a atenção”, explica.

   Depois, a tarefa mais difícil do dia será escolher uma entre as diversas opções gastronômicas do centrinho. Viajar, afinal de contas, é tomar decisões. Mas, entre os pratos de frutos do mar do Golfinho Bar e Restaurante, o peixe no coco verde do Quintal e os escondidinhos preparados com maestria no Tal do Escondidinho, fique tranquilo que não há chance de errar. Bom que só a mulesta!, como se diz por lá.


A Azul leva você a Natal com voos a partir de diversas cidades do Brasil. A Praia da Pipa fica a apenas 81km da capital potiguar.
Mais informações:
4003 1118 / voeazul.com.br

PASSEIOS

  • Luck Receptivo

A empresa oferece diversos passeios na Praia da Pipa e região. A Praia do Madeiro, a Baía dos Golfinhos, o Mirante do Chapadão, a Praia do Amor e o centrinho do charmoso vilarejo estão entre os pontos que podem ser contemplados com os tours organizados pela equipe do receptivo.
84 99986 5833
luckreceptivo.com.br

ONDE FICAR

  • Mirante de Pipa

Localizada em uma área de 18 mil m² de Mata Atlântica, no centro da Pipa, a pousada oferece conforto em meio à natureza. Os chalés, integrados à mata, têm ar-condicionado, TV, frigobar e varanda com rede. O Mirante Sunset Bar, melhor endereço da região para assistir ao pôr do sol, fica dentro da propriedade.
R. do Mirante, 1, Praia da Pipa, Tibau do Sul // 84 3246 2251
mirantedepipa.com.br

  • Pipa Lagoa

Ideal para famílias, com apartamentos amplos e confortáveis, o hotel está localizado na pacata aldeia de pescadores de Tibau do Sul, a poucos quilômetros do centrinho da Pipa. Spa, sauna e estúdio de massagem são alguns dos atrativos das áreas comuns. A parte externa conta com uma piscina de encher os olhos: são 450m² de área.
Rod. RN-003, trecho Goianinha – Tibau do Sul // 84 3246 4414
pipalagoa.com

ONDE COMER

  • O Tal Escondidinho

O paulista Betão é o responsável pela cozinha caprichada desta casa de comida nordestina, uma das melhores da cidade. Entre tantas opções de gastronomia internacional, O Tal do Escondidinho se destaca com pratos de sabores regionais. O ballotine de leitoa com purê de abóbora cabotiá defumado foi o prato vencedor do Festival Gastronômico da Pipa de 2017.
Av. Baía dos Golfinhos, 1130, Praia da Pipa, Tibau do Sul
84 99130 1807

  • Amô Restaurante e Tapiocaria

O carro-chefe deste agradável restaurante da Praia do Amor é o Peixe Lampião, recheado com camarão e acompanhado de arroz com manga e legumes. Entre as sobremesas, não perca a brownioca. É a parada ideal para recarregar as energias depois de um dia de sol e mar.
R. das Acácias, 1100, Praia da Pipa, Tibau do Sul
84 99993 9820

  • Golfinho Bar e Restaurante

Localizada no fervo da Avenida Baía dos Golfinhos, a casa é uma das mais tradicionais da Pipa, em funcionamento há 30 anos. O extenso cardápio conta com opções como a bruschetta de robalo, peixes grelhados e carne de sol. Durante o dia, o deque tem vista do mar. À noite, há apresentações de música ao vivo.
Av. Baía dos Golfinhos, 635, Praia da Pipa, Tibau do Sul
84 3246 2531

  • Quintal Restaurante e Tapiocaria 

No restaurante de ambiente informal, o camarão no coco verde acompanhado de arroz de manga é uma pedida certeira. O mesmo prato pode ser preparado com peixe. Entre as entradas, fazem sucesso os dadinhos de tapioca e o queijo de coalho grelhado. Há PFs com bons preços.
Av. Baía dos Golfinhos, 985, Praia da Pipa, Tibau do Sul
84 3246 2704

  • Ponta do Pirambu 

Com piscina de borda infinita, espreguiçadeiras ao sol e redário na beira da praia, este espaço de day use conta também com gastronomia apurada. A Sinfonia do Mar, com camarão, lula, mexilhões, polvo e sururu, e o Gostinho da Terra, um folhado de tapioca recheado com carne de siri e camarão, são algumas das opções de pratos.
R. Sem Pescoço, 250, Praia do Pirambu, Tibau do Sul // 84 3246 4333
pontadopirambu.com.br

voltar-para-o-sumario